Comum em crianças, podendo estar presente mesmo na fase intra uterina é o hábito indesejado de sucção de dedo ou de chupeta, que não são tão inofensivos quanto parecem.

Estes hábitos podem perturbar o desenvolvimento da dentição, comprometendo a forma e a função. A mordida aberta anterior, falta de contato dos dentes da frente, pode ser diagnosticada em cerca de 35% das crianças.

Embora, estudos mostrem que a sucção faz parte do desenvolvimento psicoemocional da criança, essa prática não é recomendável após os 4 anos de idade. Quando o hábito é interrompido até essa idade, a mordida aberta anterior tende a se autocorrigir sem a necessidade do uso de aparelhos.

Aparelhos reeducadores de postura lingual, usados no momento adequado podem interceptar problemas na dentição e o tratamento fonoaudiológico irá auxiliar na obtenção de resultados mais estáveis.

A relação existente entre o hábito de sucção de dedo ou chupeta e o efeito que ela pode causar na dentição depende da intensidade, frequência e duração do hábito, bem como o padrão esquelético da criança , e pode ter efeitos mais prejudiciais se acompanhado por uma respiração bucal.

O ortodontista deve focar em uma postura não punitiva e tem como objetivo não causar impacto psicológico negativo na criança que ainda depende do hábito e que certamente já foi alertada pelos familiares sobre a necessidade de interrompê-lo.

pacientes_succao2